O que é a Tecnologia BIM e porquê ela pode se tornar obrigatória nas construções brasileiras em 2021

Por Laís Gonçalves. Conheça o conteúdo do Decreto nº 9.983 do Presidente da República



Para a execução de um empreendimento, é necessário a elaboração de diversos documentos, como por exemplo, o projeto, cronograma de obra e cronograma físico-financeiro.


Trata-se de um processo complexo, de várias etapas, envolvendo, frequentemente mais de uma empresa e diversos profissionais.


Já pensou se desse para unir isso tudo em um só lugar? Pois é. É para isso que surgiu a tecnologia BIM.


BIM é a sigla para Building Information Modeling, que em português quer dizer Modelagem da Informação da Construção.


A informação é tudo aquilo que é relevante para aquela construção, por exemplo: o custo de cada um dos materiais aplicados, quanto tempo uma parede demorará para ser construída, seu custo por m², etc.


No BIM, essas informações estão integradas de forma inteligente no programa utilizado, ao invés de se fazer os cálculos e registros de forma manual.


O BIM se aplica desde a concepção do projeto até depois que ele está pronto, facilitando, inclusive, ações para a manutenção daquele empreendimento.


Ele facilita, também, a colaboração e troca de informações entre os profissionais e empresas envolvidos no projeto, como construtora, incorporadora, etc.


Conheça as principais vantagens do BIM:


Diminui erros na obra

Melhora a gestão do tempo e cumprimento prazos

Testa soluções antes da execução efetiva

Integra diferentes profissionais em uma única tecnologia

Facilita a comunicação entre os envolvidos

Diminui o desperdício de materiais

Tem todas as informações possíveis de diferentes estruturas em uma mesma plataforma

Maximiza o retorno sobre o Investimento de projetos

Atualizações em tempo real das alterações do projeto


Por conta dessas e outras vantagens, o Governo Federal editou o Decreto Nº 9.983, de 22 de Agosto de 2019, que determina a disseminação da Tecnologia e implementa um Comitê Gestor, composto por membros de diversos Ministérios do Governo Federal, para implementar a Estratégia BIM em todo Território Nacional.


O Comitê objetiva “exigir o BIM nas compras públicas ou utilizá-lo na criação de projetos, no acompanhamento de obras e no gerenciamento das edificações” além de “estabelecer exigências de uso do BIM em programas governamentais com recursos orçamentários do Poder Executivo Federal”. Foi proposto que essa meta seja implementada a partir de janeiro de 2021.


Atualmente, segundo a Fundação Getúlio Vargas, somente 9,2% das empresas do setor da construção civil utilizam o BIM em seus projetos. O objetivo é que 50% do PIB do setor passe a utilizar a metodologia.


Portanto, fique atento! Se você ou a sua empresa pretendem participar de licitações, é interessante começar a implementar o BIM em seus projetos!


Conheça a Cartilha do Governo sobre a implementação do BIM clicando aqui


Você tem mais alguma dúvida sobre esse assunto? Comente aqui embaixo!

Se esse conteúdo foi útil para você, clique no Coração e Compartilhe para ajudar mais pessoas a saberem!


Laís Gonçalves é Advogada e Consultora em Direito Imobiliário em Juiz de Fora, Minas Gerais.


Contato: lais.goncalves@outlook.com


OBSERVAÇÃO DE DIREITOS AUTORAIS: A cópia deste artigo, total ou parcial NÃO É AUTORIZADA, ainda que dados os créditos de autoria.

TODOS OS DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS.

CÓPIA PARCIAL OU TOTAL NÃO AUTORIZADA.

2020. LAÍSGONÇALVES.COM